Archive for January, 2008

Seguro Automóvel – 12 Perguntas / 12 Respostas – #11

Wednesday, January 30th, 2008

O QUE É UMA PERDA TOTAL?

– Existe perda total quando, em vez da reparação do veículo, deva ser paga uma indemnização em dinheiro. Tal ocorrerá, entre outras situações, sempre que não seja possível a reparação, ou quando se constate que o valor estimado para a reparação dos danos sofridos, adicionado ao valor do salvado, ultrapassa 100% ou 120% do valor do veículo imediatamente antes do sinistro, consoante se trate respectivamente de um veículo com menos ou mais de 2 anos.

Fonte: Instituto de Seguros de Portugal – Guia Prático de Seguro Automóvel 2007

Seguro Automóvel – 12 Perguntas / 12 Respostas – #10

Saturday, January 26th, 2008

O SEGURO TRANSMITE-SE COM A VENDA DO VEÍCULO?

– O seguro não se transmite. Caduca às 24 horas do dia da venda, pelo que o novo proprietário deve celebrar outro contrato de seguro. Por esse motivo, o tomador de seguro deve comunicar imediatamente, por escrito, à sua seguradora a venda do veículo.

– No caso de pretender efectuar a substituíção do veículo por outro aproveitando a mesma apólice, o tomador deve solicitar a suspensão dos efeitos do contrato, a qual terá efeito até um máximo de 120 dias a contar da data do pedido de suspensão.

Fonte: Instituto de Seguros de Portugal – Guia Prático de Seguro Automóvel 2007

Seguro Automóvel – 12 Perguntas / 12 Respostas – #9

Wednesday, January 23rd, 2008

QUAIS AS OBRIGAçÕES DA SEGURADORA NA GESTÃO DE SINISTROS?

– Após ter conhecimento de um sinistro de que resultem exclusivamente danos materiais, a seguradora tem 2 dias úteis para proceder ao primeiro contacto, com vista à marcação das peritagens. Depois, num prazo máximo de 30 dias úteis, a seguradora deve comunicar ao tomador de seguro ou segurado e ao terceiro lesado a sua decisão sobre o assunto, através de uma proposta razoável de indemnização ou de uma resposta de recusa fundamentada. No caso de haver Declaração Amigável de Acidente Automóvel esse prazo será de 15 dias.

– Nos sinistros de que resultem danos corporais os prazos para a sua regularização são alargados, ficando a contagem final dependente da data em que se verificou a alta clínica e o dano se tornou totalmente quantificável.

Fonte: Instituto de Seguros de Portugal – Guia Prático de Seguro Automóvel 2007

Seguro Automóvel – 12 Perguntas / 12 Respostas – #8

Tuesday, January 22nd, 2008

E SE UM DOS CONDUTORES NÃO TIVER SEGURO?

– Se algum dos condutores envolvidos num acidente não exibir documentos comprovativos do contrato de seguro, os outros intervenientes devem, de imediato, solicitar a presença das autoridades policiais, sem prejuízo de recolherem a identificação da matrícula e do condutor, bem como as demais informações necessárias à regularização do sinistro. Podem, também, consultar o site do ISP (www.isp.pt) ou pedir a intervenção do Departamento de Atendimento do ISP para localizar a seguradora a partir da matrícula, ou recorrer ao Fundo de Garantia Automóvel caso não exista seguro válido.

Fonte: Instituto de Seguros de Portugal – Guia Prático de Seguro Automóvel 2007

Seguro Automóvel – 12 Perguntas / 12 Respostas – #7

Thursday, January 17th, 2008

O LESADO PODE EXIGIR UM VEICULO DE SUBSTITUIÇÃO?

– Verificando-se a imobilização do veículo sinistrado, o lesado tem direito a um veículo de substituição de características semelhantes, a partir da data em que a seguradora assuma a responsabilidade exclusiva pelo ressarcimento dos danos resultantes do acidente.

Fonte: Instituto de Seguros de Portugal – Guia Prático de Seguro Automóvel 2007

Seguro Automóvel – 12 Perguntas / 12 Respostas – #6

Wednesday, January 16th, 2008

O QUE ACONTECE SE NÃO PAGAR O SEGURO AUTOMÓVEL?

– No caso de se tratar de um contrato novo, o pagamento do seguro ou da fracção inicial é devido na data da celebração do contrato, só se verificando a cobertura dos riscos a partir do momento desse pagamento. Em termos práticos, tal significa que a protecção conferida pelo seguro automóvel só se inicia depois de efectuado o pagamento.

– Se for uma renovação de um contrato já existente, a falta de pagamento do seguro no prazo indicado tem como consequência a cessação do contrato. A seguradora tem a obrigação de avisar por escrito o tomador do seguro, indicando o valor e a data de pagamento, com uma antecedência de 60 dias em relação ao momento em que o pagamento é devido.

Fonte: Instituto de Seguros de Portugal – Guia Prático de Seguro Automóvel 2007

Seguro Automóvel – 12 Perguntas / 12 Respostas – #5

Tuesday, January 15th, 2008

AS SEGURADORAS PODEM RECUSAR-SE A FAZER O SEGURO OBRIGATÓRIO?

– Podem. Mas a lei prevê uma forma de ultrapassar essa recusa. Quem não conseguir que lhe aceitem o contrato em, pelo menos, três seguradoras, deve exigir de cada uma a respectiva declaração de recusa — cujo fornecimento é obrigatório — e contactar o Departamento de Atendimento do Instituto de Seguros de Portugal, que lhe indicará a seguradora que fica obrigada a aceitar o seguro, bem como o preço a pagar.

Fonte: Instituto de Seguros de Portugal – Guia Prático de Seguro Automóvel 2007

Seguro Automóvel – 12 Perguntas / 12 Respostas – #4

Saturday, January 12th, 2008

O PREÇO É IGUAL EM TODAS AS SEGURADORAS?

– Cada seguradora é livre de fixar os seus próprios preços — incluindo o do Seguro Obrigatório de Responsabilidade Civil Automóvel — de acordo com a sua estrutura de custos e a experiência de sinistralidade dos seus clientes.

– A idade do condutor, a antiguidade da carta de condução, o ano de fabrico do veículo, além de outros factores inerentes ao automobilista, também podem influir no preço do seguro, de acordo com a tabela específica de cada seguradora.

– Normalmente, o preço aumenta por cada sinistro da responsabilidade do segurado e diminui por cada um ou mais anos sem sinistros. Estas alterações apenas podem ocorrer no vencimento anual do ocontrato e mediante pré-aviso da seguradora.

Fonte: Instituto de Seguros de Portugal – Guia Prático de Seguro Automóvel 2007

Seguro Automóvel – 12 Perguntas / 12 Respostas – #3

Friday, January 11th, 2008

É POSSÍVEL SEGURAR TODOS OS RISCOS?

Nenhum contrato de seguro cobre todos os riscos. Além do seguro obrigatório de responsabilidade civil, pode ainda ser contratado um seguro de danos próprios.

– Este contrato de seguro abrange os prejuízos sofridos pelo veículo seguro ainda que o condutor seja o responsável pelo acidente, em conformidade com as coberturas que vierem a ser contratadas.

Fonte: Instituto de Seguros de Portugal – Guia Prático de Seguro Automóvel 2007

Seguro Automóvel – 12 Perguntas / 12 Respostas – #2

Friday, January 11th, 2008

QUAIS AS COBERTURAS DO SEGURO OBRIGATÓRIO?

– O seguro obrigatório garante as indemnizações devidas por danos corporais ou materiais causados a terceiros, bem como às pessoas transportadas, com excepção do condutor do veículo.

– Relativamente aos passageiros transportados gratuitamente e às pessoas transportadas mediante contrato (táxi, transportes colectivos, etc.), o seguro obrigatório abrange, em regra, o pagamento da indemnização dos danos causados ao lesado legalmente transportado.

Fonte: Instituto de Seguros de Portugal – Guia Prático de Seguro Automóvel 2007